Essa é a quantidade de palavras usada pelo comunicador persuasivo (pelo o menos em inglês) de acordo com o pesquisador José Benki do Michigan Institute for Social Research (ISR). O autor estudou 1.380 conversas com entrevistadores para descobrir quais são as características da fala que levam a um discurso persuasivo, ou seja, como conversar as pessoas usando a voz. Os pesquisadores descobriram que falar muito rápido não é convincente, exatamente porque parece que a pessoa está tentando manupular o ouvinte. Falar devagar demais não ajuda, mas é até melhor do que falar muito rápido. A voz mais animada pode, ao contrário do que poderia se pressupor, parecer artificial. Por outro lado, os indivíduos que usaram uma fala pausada foram mais bem sucedidos do que aqueles que falaram fluentemente. Pesquisa apresentada no American Association for Public Opinion Research.